Cinomose Tem Cura? Tratamento, Sintomas, Como Prevenir!

Cinomose tem cura? Essa pergunta muitos donos de animais fazem constantemente para os médicos veterinários, e isso vamos saber agora.

A Cinomose é uma doença exclusivamente canina, atinge apenas os cães, é um vírus com uma força de contágio muito alta, já que pode sobreviver tanto em ambientes frios, secos, úmidos e quentes, principalmente nos frios e secos. Tendo uma resistência muito alta mesmo em ambientes não tão favoráveis é um risco para o animal, ainda mais porque é uma doença “invisível”.


Em muitos casos, por ser uma doença invisível e o dono só percebe depois que o vírus já se alojou e começou a “trabalhar”, os animais chegam a ir à Óbito, por que essa doença atinge vários órgãos dos animais.Cinomose tem cura?

Prevenção da Cinomose


A melhor forma de lidar com essa doença e preservar seu cachorro é não lidar com a doença, isso mesmo, basta fazer a prevenção evitando assim muitos problemas e dores de cabeça e principalmente colocar a vida do seu animal em risco.

As formas de prevenção, na realidade a melhor e mais eficaz forma de prevenção é deixar em dias a carteira de vacina do seu animal de estimação. O animal enquanto filhote deve tomar uma dose com 45 dias de vida contra Cinomose, essa é a primeira dose, depois tem que tomar mais duas doses enquanto filhote, assim como outras tantas vacinas.

Depois desse primeiro e importante passo, que pode apostar vai dar muito resultado, é só manter o reforço anual de vacinas do seu pet em dias, outra forma de prevenção é não deixar seu animal em contato com animais de rua, normalmente esses animais de rua são acometidos por diversas doenças.

Uma vez que seu cão tenha contraído esse vírus não é recomendado ter outro animal em casa por no mínimo 8 meses, além de limpar todos os itens do animal e o local onde ele fica muito bem e com água sanitária.

Mas vamos logo responder essa grande questão: Afinal de contas, Cinomose tem cura? A resposta é, SIM, tem cura. Apesar de poder levar o animal a morte essa doença pode ser tratada e curada. Mas vamos falar disso mais à frente.

Sintomas da Cinomose


Existem alguns sintomas do quadro clínico que podem ser identificados como resultado da infecção por esse vírus. Lembrando que nem todos os animais vão sentir ou apresentar todos esses sintomas que vai ser citado agora, cada organismo reage de uma forma diferente.

Cinomose tem cura?
(Foto: Reprodução/Internet)

Fique atento para esses sinais:

  • Em alguns casos o animal parar de comer;
  • O animal começa a ter secreção saindo dos olhos;
  • Pústulas na barriga e focinho;
  • O animal anda de forma lenta e cambaleante, já não consegue andar em linha reta e principalmente, começa a ter espasmos musculares.

Nessa fase de espasmo significa que a doença já afetou o sistema nervo do animal, é a pior fase da doença, digamos que a última. Caso identifique algum desses sintomas no seu animal vá imediatamente com ele para um veterinário, já eu quanto mais rápido for diagnosticado a doença e começar o tratamento maiores as chances de sobrevivência do seu animal.

Tratamento para Cinomose


Não existe um tratamento específico para curar esse vírus. Na realidade o que existe são remédios, vitaminas e outros afins que tem a função de melhorar os sintomas, logo melhorar o sistema imunológico do animal, para, aí sim, eliminar o vírus do organismo.

Cão com medo da injeção

Tudo vai depender da própria força do animal e seu sistema imunológico para poder expulsar, eliminar o vírus. Quando o animal é acometido pelo vírus ainda filhote é quase certa a morte desse animal, uma vez que um filhote ainda não tem o sistema imunológico completo e forte, quando se trata de animais adultos as chances são bem melhores.

Conclusão


A Cinomose tem cura, sim. Mas lembre-se que essa cura é resultado de alguns fatores como a idade do animal, o tempo que levou para diagnosticar a doença, a imunidade do animal e o uso de vitaminas e remédios para fortalecer o seu pet.

Mesmo depois de eliminar a doença o animal pode ficar com sequelas, como dificuldade de andar, correr e espasmos musculares, pois a doença atingiu o sistema nervoso do animal, em casos mais graves.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.